Síndrome Geniturinária da Menopausa: o que é e quais são as opções de tratamento

Síndrome Geniturinária da Menopausa: o que é e quais são as opções de tratamento

A Síndrome Geniturinária da Menopausa (GSM) é uma condição que afeta pelo menos metade das mulheres na menopausa. Como o nome indica, ela designa não apenas sintomas genitais (secura, ardor e irritação) e sexuais (falta de lubrificação, desconforto ou dor), mas também urinários (urgência miccional, infecções urinárias recorrentes).

Estes sintomas, que podem aparecer associados ou não, estão relacionados à diminuição dos níveis de estrogênio decorrentes da parada definitiva da menstruação. “A redução natural dos níveis hormonais provoca alterações na vulva, vagina, uretra e bexiga”, explica a Dra. Ivani Pires de Andrade Kehdi. “A mucosa vaginal diminui de espessura e essa atrofia pode prejudicar a qualidade de vida e a sexualidade da paciente.”

Ao contrário dos calores, que tendem a cessar com o tempo, os sintomas da Síndrome Geniturinária são crônicos e progressivos, isto é, não diminuem espontaneamente. Felizmente, existem tratamentos que ajudam as pacientes na pós-menopausa a terem uma vida sexual satisfatória e/ou contornar os problemas urinários.

Tratamentos

O laser íntimo é uma das opções de tratamento, pois pode aliviar tanto os sintomas urinários como também os desconfortos genitais de secura, dispareunia e irritação. A aplicação intravaginal é feita com aparelho e ponteiras específicos. Atinge camadas profundas da pele e visa estimular o colágeno contido nas paredes vaginais, com consequente melhora da elasticidade, da lubrificação e do tônus muscular. “É um tratamento favorável principalmente para pacientes que têm contraindicação à Terapia de Reposição Hormonal”, afirma a Dra. Ivani.

As aplicações do laser são guiadas por protocolos e conduzidas por ginecologistas em consultório especializado. O tempo de duração das sessões é de aproximadamente 15 minutos, sendo recomendadas até três, realizadas em intervalos mensais.

A Dra. Ivani alerta, porém, que cada caso deve ser analisado de modo individualizado, pois existem diversos caminhos para o tratamento dos sintomas associados à menopausa. “A indicação deve ser feita após avaliação médica criteriosa, com base nos sintomas e no histórico clínico da paciente”, afirma. Cremes com estrogênio para aplicação local, lubrificantes vaginais e fisioterapia do assoalho pélvico também podem ser recomendados.

Você passou a sentir dor ou desconforto durante a relação sexual após a chegada da menopausa? Tem apresentado problemas urinários desde que parou de menstruar? Estes sintomas são comuns, mas podem ser contornados com tratamento adequado. Converse sobre o assunto com seu ginecologista, profissional indicado para avaliar o melhor procedimento para seu caso.

A Scope atua no diagnóstico e tratamento de patologias ginecológicas através de técnicas modernas e minimamente invasivas. Entre em contato e agende a sua consulta online ou pelo telefone (11) 3849-1818.

Open chat