Sabonete íntimo: usar ou não usar

Sabonete íntimo: usar ou não usar

A região íntima feminina deve ser higienizada com atenção. No mercado existem diversas opções de sabonetes íntimos, e todos prometem proteção e sensação de frescor. Mas a dúvida é: usar ou não usar? Faz bem ou faz mal?

Segundo a Dra. Ana Maria Morato Gagliardi, ginecologista da Scope, esse tipo de produto possui o pH mais ácido, próximo ao da pele vulvar. Por serem desenvolvidos especificamente para área íntima, costumam ser hipoalergênicos e podem manter o pH e a hidratação da pele equilibrados. “O uso do produto não é obrigatório e só se torna prejudicial caso seja utilizado de forma errada”, afirma.

O correto é usar o sabonete íntimo apenas na vulva, parte externa do órgão genital feminino que inclui grandes lábios, pequenos lábios e clitóris. Depois de aplicar o produto com as mãos, lave a área de forma delicada e enxague em seguida. Evite buchas e não esfregue excessivamente para não agredir a mucosa. Pode ser usado diariamente, mas não mais que uma vez ao dia.

A parte interna da vagina, por sua vez, possui pH menos ácido. Por isso, o ideal é lavar somente com água, pois sabonetes e duchas vaginais podem causar irritação e comprometer a proteção natural da região.

Vale lembrar que sabonete íntimo não trata infecções ginecológicas como candidíase ou vaginose, causadas por fungos e bactérias. Em caso de corrimento atípico, coceira ou dor, consulte seu ginecologista. O diagnóstico correto é fundamental para o tratamento adequado e o fim do desconforto.

A Scope atua no diagnóstico e tratamento de patologias ginecológicas através de técnicas modernas e minimamente invasivas. Entre em contato e agende a sua consulta online ou pelo telefone (11) 3849-1818.

Open chat