5 doenças ginecológicas frequentes em idade reprodutiva

Fazer um check up ginecológico uma vez ao ano é um hábito capaz de nos livrar de problemas mais graves, já que muitas doenças podem ser detectadas em consultas de rotina. Além disso, é importante estar atenta aos sinais do corpo e buscar ajuda médica assim que notar que algo não vai bem. Conheça 5 doenças ginecológicas comuns, dê atenção aos sintomas e não descuide da sua saúde.

  1. Endometriose

Quem convive com a endometriose sabe o quanto ela pode prejudicar a qualidade de vida. Além de cólicas menstruais progressivas, por vezes incapacitantes, são sintomas da doença: dor na relação sexual, dor ao urinar ou evacuar e dificuldade para engravidar. O diagnóstico é feito a partir da história clínica da paciente, além de exames físicos, de imagem e de videolaparoscopia, procedimento que permite estadiamento, tratamento da doença e também pode ser utilizado como tratamento, com a remoção de lesões através da cirurgia mini-invasiva.

  1. Mioma uterino

Miomas são tumores benignos que merecem nossa atenção quanto ao tamanho, à localização, sintomas e crescimento. Quando pequenos, e não localizados na parte interna do útero (miomas submucosos), costumam ser assintomáticos. Quando crescem, podem causar fluxo menstrual aumentado, cólicas menstruais, aumento do volume do abdômen, dor pélvica e hemorragias. Dependendo do tamanho, do lugar que ocupam no útero e dos sintomas apresentados, a indicação de tratamento pode cirúrgica, via videolaparoscopia ou videohisteroscopia, técnicas minimamente invasivas que garantem a recuperação mais rápida da paciente.

  1. Síndrome do Ovário Policístico (SOP)

Esta é uma alteração hormonal muito frequente e o seu diagnóstico baseia-se na história clínica, exames físicos, laboratoriais e de imagem. O tratamento, na maioria dos casos, é clínico, com o uso de hormônios, respeitando-se o momento da paciente em relação ao desejo reprodutivo.

Este distúrbio hormonal é caracterizado pelo surgimento de microcistos no ovário, que também podem provocar alterações menstruais, ganho de peso, acne, crescimento excessivo de pelos e até infertilidade. Embora não tenha cura, os sintomas podem ser controlados com anticoncepcionais, que regulam o ciclo menstrual e a produção de hormônios masculinos. Para pacientes com dificuldade para engravidar, medicamentos e cirurgia por videolaparoscopia podem ser indicados para ajudar na ovulação.

  1. Vulvovaginite

Coceira, vermelhidão e corrimento com cor e odor diferentes mostram que algo não vai bem. A vulvovaginite é uma infecção vaginal e na vulva provocada por uma variedade de bactérias, fungos ou parasitas, normalmente quando a imunidade da mulher está mais baixa. Para tratar o desconforto, o ginecologista investiga a causa da infecção para então prescrever o medicamento adequado, assim como dosagem e duração do tratamento.

  1. Doença inflamatória pélvica

A doença inflamatória pélvica tem como principal causa uma infecção bacteriana transmitida por contato sexual desprotegido. Normalmente, apresenta sintomas como febre, dor abdominal e corrimento persistente. Se não for diagnosticada e devidamente tratada, pode avançar para além da vagina e comprometer órgãos do sistema reprodutor feminino. Para não contrair esta DST ou evitar que ela reapareça, a dica é simples: use preservativo. Praticar sexo seguro, cultivar hábitos de vida saudáveis e consultar regularmente o ginecologista são medidas que previnem inúmeras doenças.

A Scope atua no diagnóstico e tratamento de patologias ginecológicas através de técnicas modernas e minimamente invasivas. Agende a sua consulta online ou pelo telefone (11) 3849-1818.