Cistite intersticial: inflamação crônica na bexiga afeta mais as mulheres

Cistites são inflamações na bexiga. Embora na maioria das vezes sejam causadas por bactérias, as inflamações podem ter causas não infecciosas, como é o caso da cistite intersticial. Também conhecida como Síndrome da Bexiga Dolorosa, essa doença crônica se caracteriza pela falha na produção do muco que protege a parede da bexiga, que fica irritada devido ao contato direto com as toxinas da urina.

Segundo a Dra. Ivani Pires de Andrade Kehdi, ginecologista da Scope, a doença atinge principalmente mulheres na faixa de 40 anos, e seus sintomas mais comuns são dor pélvica, ardor ao urinar e micção frequente, geralmente com pouca quantidade de urina. “O desconforto prejudica a qualidade de vida, gera stress emocional e pode afetar a intimidade sexual”, afirma.

O diagnóstico é realizado com investigação clínica detalhada e exclusão de outras patologias. Além de analisar o histórico da paciente, que deve relatar a frequência que vai ao banheiro, o ginecologista pode solicitar exames de urina e cistoscopia, além de biópsia, se necessário. “É através do diagnóstico que iniciamos o tratamento adequado”, lembra a Dra. Ivani.

Como as causas da cistite intersticial não são totalmente conhecidas, o tratamento visa o controle dos sintomas. Além de cuidados com a alimentação, evitando café, chás e bebidas gasosas, pode haver indicação de medicações de uso oral e de fisioterapia para fortalecimento do assoalho pélvico.

Em caso de dor pélvica, ardor ao urinar ou alterações na micção, busque ajuda médica. Quando não tratadas, as cistites causam desconforto e afetam a qualidade de vida.

A Scope atua no diagnóstico e tratamento de patologias ginecológicas através de técnicas modernas e minimamente invasivas. Entre em contato e agende a sua consulta online ou pelo telefone (11) 3849-1818.