Covid-19: como o estresse afeta o ciclo menstrual

Covid-19: como o estresse afeta o ciclo menstrual

A menstruação atrasou? Calma, pois o estresse por conta da pandemia do coronavírus é a causa provável da alteração do seu ciclo menstrual, atrasando, adiantando ou até mudando o padrão do sangramento.

A razão biológica é simples: a hipófise, glândula cerebral que regula todas as outras glândulas (como tireoide, suprarrenal e ovários), tem relação direta com o hipotálamo, área do cérebro que, entre outras funções, atua como centro controlador de emoções. 

“Na medida em que as incertezas e o estado de isolamento geram ansiedade, tristeza e até medo, a hipófise é afetada e, por consequência, os ovários, que são responsáveis pela produção dos hormônios que regulam e fazem o ciclo menstrual acontecer”, explica a Dra. Ivani Pires de Andrade Kehdi, ginecologista da Scope. “Dependendo da condição física e emocional da paciente, pode haver ciclos sem ovulação, ovulação em época irregular, fluxo mais ou menos intenso”.

Excluída a possibilidade de gravidez, é bem provável que essas alterações sejam funcionais e que a produção hormonal e o se normalizem espontaneamente. “É claro que se o problema persistir por muito tempo a paciente tem que procurar o seu médico para investigação”, afirma a Dra. Ivani. 

Segundo ela, o quadro hemorrágico é a única irregularidade menstrual que requer atendimento imediato. “Independentemente da causa, uma hemorragia se impõe como urgência porque a perda de sangue gera consequências como anemia e enfraquecimento da própria imunidade”. 

Como contornar a TPM na quarentena

Vale lembrar que o estresse também pode agravar os sintomas da TPM. Em momentos de tensão como o que vivemos, o organismo libera várias substâncias que acentuam a retenção de líquido no período pré-menstrual, desencadeando um conjunto de sintomas como inchaço, aumento do volume mamário e abdominal, dor de cabeça, além de irritabilidade, insônia, depressão, crise de choro e desejo de comer doce

Para amenizar estes desconfortos na quarentena, reforce cuidados com a saúde física e emocional. Além de incluir na rotina atividades relaxantes e prazerosas, que ajudam a controlar as emoções, reduza o consumo de sal, beba mais líquido (sobretudo água e chás) e dê preferência a alimentos menos calóricos, como frutas, verduras e legumes.

A prática diária de exercícios físicos é benéfica, pois melhora o humor, queima calorias e libera endorfina, substância que combate a dor. Todas estas medidas ligadas a um estilo de vida mais saudável também são recomendadas para as portadoras de endometriose, doença crônica e estrógeno-dependente que provoca cólicas intensas e progressivas. 

Se a intensidade dos sintomas prejudicar atividades do dia a dia, converse com o seu ginecologista. Dependendo do caso, tratamentos com medicamentos podem ser instituídos para a recuperação da qualidade de vida.

Durante o período de pandemia, a Scope está atendendo de forma diferenciada e seguindo as normas do Ministério da Saúde. Para assegurar a saúde e segurança de todos, a clínica está limitando a entrada de uma paciente por vez e tomando todas as medidas preventivas. 

O momento continua exigindo atenção e é importantíssimo não relaxar condutas de higiene e de isolamento social. “O coronavírus é um inimigo muito contagioso e contra o qual não temos imunidade. Pode atingir qualquer um e evoluir de maneira muito grave”, alerta a Dra. Ivani. 

Para evitar o contágio e a transmissão, fique em casa, use máscara se precisar sair, mantenha a higienização rigorosa das mãos e faça a desinfecção de todas as compras e objetos trazidos da rua, sem esquecer da bolsa, celular e dos sapatos.

A Scope atua no diagnóstico e tratamento de patologias ginecológicas através de técnicas modernas e minimamente invasivas. Entre em contato e agende a sua consulta online ou pelo telefone (11) 3849-1818.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *