Ooforectomia e ooforoplastia: causas e consequências das cirurgias nos ovários

Os ovários têm funções importantes no organismo: abrigam os óvulos e são responsáveis pela produção dos hormônios femininos. Às vezes, por questões de saúde, essas estruturas precisam ser tratadas cirurgicamente, em procedimento que pode ser realizado por videolaparoscopia.

Segundo a Dra. Ana Maria Morato Gagliardi, ginecologista da Scope, a cirurgia nos ovários pode ser indicada para o tratamento de câncer, tumores benignos, abscessos e torções ovarianas. Dependendo do caso, pode ser necessária a retirada completa dos ovários (ooforectomia) ou somente a remoção de cistos e tumores (ooforoplastia). “A videolaparoscopia traz grandes benefícios à paciente, sendo muito utilizada em cirurgias ginecológicas”, explica.

A cirurgia videolaparoscópica é realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia, com equipe médica treinada e habilitada. Por meio desta técnica, são feitas pequenas incisões: uma em cicatriz umbilical e outras no abdômen inferior (de aproximadamente 5 mm). Com o auxílio de um instrumento óptico acoplado a uma microcâmera, o cirurgião visualiza a pelve e, através das outras incisões, manipula as estruturas internas com pinças especiais, operando com excelência as pacientes.

Por se tratar de um procedimento minimamente invasivo, há menos perda de sangue e menor risco de complicações. O período de internação é menor, com rápida recuperação da paciente e retorno às atividades rotineiras mais precocemente.

Consequências da retirada dos ovários

A ooforectomia bilateral, em que os dois ovários são retirados, deve ser criteriosamente avaliada, com atenção ao quadro clínico, exames de imagem (ressonância magnética ou ultrassom), alteração de exames de sangue, assim como tamanho e características da lesão e sintomatologia.

Não deve ser feita de modo indiscriminado, especialmente entre pacientes em idade reprodutiva e que desejam ter filhos. “O procedimento só é recomendado em casos especiais ou de malignidade, pois compromete a função reprodutiva”, explica a Dra. Ana Maria Gagliardi. A remoção completa dos ovários também induz a menopausa precoce, portanto a atenção e avaliação pré-operatórias são de grande importância.

As doenças que acometem os ovários podem ser assintomáticas, principalmente os tumores, quando não têm atividade hormonal e seu tamanho não acarreta compreensão de estruturas pélvicas, sendo comum serem descobertas em estágio avançado. Por isso, passar por consultas regulares com o ginecologista e procurar ajuda médica sempre que notar qualquer anormalidade é a melhor forma de evitar complicações.

A Scope atua no diagnóstico e tratamento de patologias ginecológicas através de técnicas modernas e minimamente invasivas. Entre em contato e agende a sua consulta online ou pelo telefone (11) 3849-1818.