Cirurgia robótica: mais precisão no tratamento de casos ginecológicos complexos

A videolaparoscopia é uma das conquistas mais notáveis da medicina. Por meio da técnica minimamente invasiva, as operações abertas que exigiam grandes cortes passaram a ser feitas através de incisões pequenas, causando menos sangramento e reduzindo o risco de infecção. Na última década, a robótica aperfeiçoou a videolaparoscopia, assegurando ainda mais segurança e precisão.

“A robótica representa um avanço, pois permite ao cirurgião alcançar áreas de difícil acesso da cavidade pélvica”, explica a Dra. Ivani Pires de Andrade Kehdi, ginecologista da Scope e especialista em cirúrgica laparoscópica robótica. Segundo ela, esta tecnologia, ainda restrita a poucos centros cirúrgicos especializados no Brasil, tem eficácia comprovada no tratamento de casos ginecológicos complexos, como endometriose profunda, histerectomia, prolapsos (quedas) de órgãos genitais e miomas uterinos.

Passo a passo da cirurgia robótica

O robô cirúrgico não substitui o médico, apenas o auxilia. Por meio de um console, o cirurgião controla remotamente os movimentos dos braços articulados do robô, nos quais estão acoplados os instrumentos cirúrgicos. Através de pequenas incisões, os braços replicam em tempo real os comandos do médico, acessando áreas de difícil alcance com extrema precisão.

Em um dos braços, uma microcâmera de alta definição registra imagens dimensionais da área da operação, que é visualizada pelo cirurgião principal na tela do console. Ao lado da paciente ficam o segundo cirurgião e o instrumentador, além do anestesista e dos enfermeiros especializados em robótica.

Assim como a videolaparoscopia tradicional, a cirurgia assistida por robô prevê incisões mínimas e tem sangramento reduzido, o que diminui o risco de complicações e o período de internação. Segundo a Dra. Ivani, as principais vantagens do método robótico são a visualização 3D, a articulação e estabilidade no manuseio dos instrumentos e o alcance dos mesmos. “É uma ferramenta bastante precisa para casos de endometriose profunda, quando pode haver risco de perda da fertilidade”, avalia.

Como todo procedimento cirúrgico, deve ser realizada por equipes experientes. Apenas profissionais que passaram por treinamentos específicos podem realizar cirurgias auxiliadas por robôs, seguindo protocolos de segurança. A indicação da técnica depende de avaliação médica.

A Scope atua no diagnóstico e tratamento de patologias ginecológicas através de técnicas modernas e minimamente invasivas. Agende a sua consulta online ou pelo telefone (11) 3849-1818.