A recuperação da robótica e da videolaparoscopia cirúrgica

A recuperação da robótica e da videolaparoscopia cirúrgica

A data da sua cirurgia está se aproximando e é natural você querer saber mais sobre o processo de recuperação no pós-operatório. Afinal, todo mundo deseja retomar as atividades de rotina o mais rápido possível, certo? Apesar do receio de algumas pacientes, a recuperação deste procedimento cirúrgico é tranquilo, principalmente quando as orientações médicas são seguidas.

Segundo a Dra. Ana Maria Morato Gagliardi, ginecologista da Scope, a videolaparoscopia ou a cirurgia robótica são intervenções minimamente invasivas que podem ser indicadas para o tratamento da endometriose e de outras patologias ginecológicas, como miomas, cistos ovarianos, gravidez ectópica, doença inflamatória pélvica. Entre outras. “Diferentemente da cirurgia convencional aberta, a cirurgia minimamente invasiva requer apenas pequenas incisões no abdome da paciente, isto é, provoca sangramento reduzido, menos dor e menor risco de infecções”, explica.

O procedimento é sempre realizado em ambiente hospitalar e com a paciente sob anestesia. Por meio das pequenas incisões são inseridas delicadas pinças e uma ótica conectada a uma microcâmera, instrumentos que permitem ao cirurgião visualizar a área e realizar a cirurgia, sem a abertura da parede abdominal.  Como qualquer cirurgia, deve ser conduzida por especialistas experientes, equipes treinadas em local com material cirúrgico adequado. Em geral, a alta hospitalar acontece após um período de 24 horas.

Após o procedimento, a paciente pode sentir dor abdominal de fraca intensidade, eventualmente náuseas, e demorar 48 a 72 horas para o intestino funcionar. Além de fazer uso da medicação prescrita, é importante seguir à risca as orientações médicas, em relação às atividades físicas, alimentação e medicamentos prescritos.

Não existe repouso. Apenas no dia da cirurgia a paciente permanece por algumas horas no leito. No dia seguinte pode andar e executar atividades leves.

Nas videolaparoscopias de menor porte, a paciente fica com restrição de realizar exercícios físicos, pegar peso e manter relações sexuais por um período de 15 a 30 dias. Nas cirurgias maiores, como retirada de útero e correção de quedas de órgãos (prolapsos), estas restrições duram entre 45-60 dias.

No período que se segue à cirurgia é importante uma farta ingestão de líquidos, comidas leves sem fermentação e de efeito laxativo. Recomenda-se sempre que a paciente não fique deitada, caminhadas são importantes para ajudar o intestino a voltar a funcionar.

“É preciso seguir as orientações médicas para alcançar os resultados esperados”, explica a Dra. Ana Maria. Segundo ela, o retorno às atividades cotidianas acontece gradativamente, de acordo com a liberação médica.

Está mais segura quanto a sua cirurgia? Em caso de dúvida em relação ao procedimento e cuidados no pós-operatório, consulte um especialista da Scope.

A Scope atua no diagnóstico e tratamento de patologias ginecológicas através de técnicas modernas e minimamente invasivas, com equipamentos de última geração e médicos altamente especializados. Entre em contato e agende a sua consulta online ou pelo telefone (11) 3849-1818.

0